• Português
  • Telefone da Nova Central de Atendimento Fomento Paraná
  • cataratas
  • ligeirão
  • Campo3
  • Unidade Móvel
  • milho
  • Maringá
  • afpr
  • torrado
  • barreado
  • afpr
  • pinheiros1
  • afpr
  • ilha
  • curitiba
  • Se você precisa
  • Paranaguá
  • Ilha do Mel

Serviços

Notícias

31/03/2018

Empreendedor de Palmeira monta escola de música com apoio do Fomento Cultura

O que era uma tradição familiar virou negócio em Palmeira. O avô de Rodrigo Haniskievicz era músico e tocava acordeão e violão em emissoras de rádio e bailes nos Campos Gerais. O garoto manteve a paixão do avô pela música. Estudou no Conservatório de Música em Ponta Grossa, tocou em bandas e deu aulas em escolas, até abrir o próprio estúdio e escola de música na cidade.


Para montar o empreendimento Arte do Som, Rodrigo contou com apoio da Fomento Paraná, instituição financeira de desenvolvimento do Governo do Estado. “Com o crédito, compramos instrumentos musicais, computadores, móveis e até fizemos isolamento acústico nas salas de aula”, conta ele.


O empreendedor conheceu as linhas de crédito da Fomento Paraná graças ao trabalho de uma aluna, Simone Kieras, que faz aulas de técnica vocal e também é agente de crédito no município. “O Rodrigo é muito esforçado e vi que o crédito poderia ajudar”, conta a agente. Ela apresentou ao empreendedor a linha Fomento Cultura, desenvolvida em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) para apoiar empreendimentos da economia criativa.


Para o secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, essa linha de crédito viabiliza o crescimento do empreendedorismo cultural e realiza sonhos. “A economia criativa é um importante meio para o desenvolvimento dos estados e do país. Quando a Fomento Paraná abriu essa linha de crédito para o empreendedor cultural, conseguimos atender mais uma demanda da classe artística paranaense. E neste caso do Rodrigo, que conseguiu realizar o seu sonho de montar a escola de música, para nós é uma vitória. Esperamos que esse exemplo seja seguido por vários empreendedores culturais. Esta é uma linha de crédito extremamente importante e também uma forma que o Governo do Estado encontrou para viabilizar o crescimento cultural do Paraná”, conclui.


CARREIRA – Desde criança Haniskievicz buscava revistas com cifras e partituras de canções. Aos 16 anos, ingressou no Conservatório de Música de Ponta Grossa. Por já ter conhecimento apurado, entrou direto no 3º nível. Estudou teoria musical, violão clássico e iniciação a piano.


“Aprendi muito com os clássicos, como Mozart e Beethoven. Mas também busquei conhecer as tendências atuais”, explica. “E é isso que tentamos oferecer aqui na escola, uma formação mais ampla, interativa e atraente para o aluno”, completa.


No local, o aluno aprende gradativamente. Em cada lição, o professor grava e faz imediatamente as correções em softwares, mostrando ao aprendiz. “Nós mesclamos o clássico com o gosto do aluno, seja rock, sertanejo ou pop”, diz o professor Webis Duarte. “Fazemos também audições periódicas e apresentações de Natal e de Páscoa. Os alunos adoram, trazem as famílias para prestigiar”.


A escola atende desde crianças (a partir dos seis anos) até idosos. Seis professores atendem mais de cem alunos, que vêm de Palmeira e de cidades da região, como Porto Amazonas e São João do Triunfo. “Todos podem aprender e é um ganho para a comunidade como um todo. Inclusive na geração de empregos especializados em uma cidade do interior”, explica Rodrigo.


PLANOS – Com as salas sendo usadas em 70% do tempo, o empreendedor ainda tem espaço para crescer. “Queremos aumentar em 20% número de alunos e de professores e nos consolidar como a melhor escola da região”, planeja Rodrigo.


TRABALHO SOCIAL – Ainda estudante, Rodrigo deu aulas de música para participantes do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), ação do Governo Federal que tem o objetivo de retirar crianças e adolescentes do trabalho precoce. “Aqui na região, muitas crianças trabalhavam na colheita de fumo. Com o PETI, eram realizadas diversas ações para erradicar esse trabalho infantil, incluindo aulas de música no contra turno escoar”, afirma Rodrigo.


MICROCRÉDITO — Desde 2011, a Fomento Paraná contratou mais de 26 mil operações de microcrédito, que representam mais de R$ 228 milhões liberados para apoiar esses pequenos negócios em todas as regiões do Estado. Só em Palmeira, já foram contratados mais de R$ 720 mil em operações de microcrédito.


Operações de microcrédito são financiamentos em valores de até R$ 10 mil, para empreendedores pessoa física, e de até R$ 20 mil para empreendimentos de pessoa jurídica (com CNPJ).


Para facilitar o acesso ao microcrédito a Fomento Paraná mantém uma rede de agentes de crédito em parceria com prefeituras, associações comerciais, secretarias de Estado e outras entidades. Atualmente estão cadastrados 266 agentes, que atuam em 226 pontos de atendimento localizados em 199 municípios.


Em Palmeira, a agente de crédito da Fomento Paraná atende na Agência do Trabalhador, na rua Coronel Pedro Ferreira, 115 – Centro.

 

Fonte: Fomento Paraná com AENPR

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.